#56 Poder Sem Limites (2012)

Poder Sem LimitesO lado escuro de superpoderes numa realidade sem maquiagens.

Como se fosse um misto de documentário, o filme começa como um retrato cotidiano de um adolescente e dois amigos que sem querer adquirem poderes após entrarem em contato com uma pedra misteriosa, encontrada dentro de um buraco próximo de uma rave. O que começa como brincadeira, diversão entre eles, mostra-se perigoso quando eles vão ficando mais fortes.

O diretor não se preocupa em dar grandes explicações (o que é ótimo), focando apenas no que poderes especiais nas mãos de humanos normais podem trazer de consequências para eles e para as pessoas próximas. A premissa até lembra um famoso aracnídeo, mas a opção de ser filmado como se fosse mesmo pela perspectiva de um dos personagens deixa a história mais verossímil. Foi uma escolha muito acertada, de outra forma poderia passar batido.

Os efeitos até surpreendem, considerando o modesto orçamento de 12 milhões. Tem boas surpresas, uma delas achei sofrida, e a cena final é demais. Um ápice ininterrupto de puro caos nas ruas de Seattle.

Curiosidade. Não lembrava muito desse filme, decidi ver porque este é o primeiro filme do diretor Josh Trank do novo Quarteto Fantástico, que todos dizem ser uma bomba, e que mandou um twitter dizendo que o filme só é ruim assim porque ele não pôde fazer o que pensou.

Nota do público: 7.1 (IMDB)
Nota dos críticos: 85% (Rotten Tomatoes)

Bilheterias
USA – $64milhões
Mundo – $126 milhões


2 comentários sobre “#56 Poder Sem Limites (2012)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s